• Psicologia

    Tecnologia e Sentido

    Sou um entusiasta da tecnologia! Sou do ponto de vista que deste sempre a tecnologia, nas suas muitas formas, tem sido um instrumento que pode ajudar a qualidade de vida, aplicada em todas as áreas da vida. Mas, devo dizer que sou ponto de vista que, no atual formato, o uso da tecnologia no plano das relações pessoais, nomeadamente, as redes móveis de telefonia, estamos vivendo algo muito fragmentador. Somos seres simbólicos, esta é uma condição essencial que nos coloca em uma posição diferente em todo criação. Somos seres de significado, de sentido! O atual modelo de relacionamento é uma armadilha, pois, deixa as pessoas numa ilusão que estão estabelecendo…

  • Diversos

    Entre o MAIÚSCULO e o minúsculo

    Eu estava trabalhando em texto, digitando-o no Word Microsoft quando eu precisava usar a expressão em latim et al, e, automaticamente, na proporção que digitei “et”, ele se transformou em “ET” e quando digitei “al” se transformou em AL. A expressão et al, numa tradução direta significa “e outro” ou ainda “entre outros”.  Bem, entre o que eu estava dizendo com a expressão et al e o que o Word entendeu o que eu estava querendo dizer são coisas absolutamente diferentes. Eu estava citando um determinado autor e dizia, então, que além daquele autor o texto citado tinha sido escrito por outros autores, conforme as regras da ABNT. Mas, AUTOMATICAMENTE…

  • Conjugalidade,  Séries

    Por que é tão difícil ceder?

    Por que é tão difícil ceder ao Outro? Ou: A negação da morte e ausência de alteridade! O animal humano, na sua relação ambiental, sob qualquer perspectiva, é um bicho que se inscreve no mote da sobrevivência. Fala-se no instinto de sobrevivência! O homem é o único animal que tem o desejo de viver instalado – não importa se manifesto ou não –numa perspectiva ontológica, portanto, é o único bicho que tem consciência de si. Talvez seja esta a sua grande benção, bem como a sua incurável e persecutória maldição. É este registro ôntico[1], que permite ao animal humano uma ontologia das possibilidades desta consciência de si. Ao ter consciência…

  • Psicologia

    Saúde mental e Integridade

    Com a promulgação da Constituição de 1988, ainda vivendo às poeiras do militarismo, o Brasil começa, então, a viver e passar por profundas transformações. E particularmente, no que diz respeito á saúde as mudanças, apesar das deficiências vividas até hoje, houve um avança que não se pode negar. Dentre tantos movimentos que buscavam melhoria no campo da saúde, “o Movimento da Reforma Sanitária teve nesse período, um papel marcante no que se refere ao processo de discussão e reflexão do conceito ampliado de saúde, da proposição de um novo modelo assistencial de saúde orientado para a promoção da saúde e prevenção da doença[1] com a participação popular”[2]. Todavia, sabemos que…

  • Psicologia

    Saúde mental e Construtivismo

    Segundo alguns especialistas a perspectiva construtivista pode auxiliar na construção da representação social acerca dos processos de saúde e doença. Outros, ainda conseguem ver um paralelo entre esta perspectiva e a proposta teórica de Canguilhem (2009) no que diz respeito ao normal e patológico. Entendo que, para abrir a questão, é fundamentalmente importante fazer uma pergunta básica: o que é o construtivismo? Segundo Becker, construtivismo significa: a ideia de que nada, a rigor, está pronto, acabado, e de que, especificamente, o conhecimento não é dado, em nenhuma instância, como algo terminado. Ele se constitui pela interação do indivíduo com o meio físico e social, com o simbolismo humano, com o…

  • Expressão de Espiritualidade

    Cultura da Conveniência Religiosa

    Não há como negar a presença da religião no contexto social! O cabedal de produção, em todos os sentidos, no campo da vida religiosa, é prodigiosa; todavia, ainda não dar conta do fenômeno! E como todo fenômeno social tem uma dinâmica que se nove no mesmo sentido das mudanças no contexto cultural e todas as suas variáveis. Alias, por conta de ser um fenômeno imbricado no contexto do telhado social, em todos os tempos, ignorá-lo é ir na contramão do processo social; será a mais clara e pública declaração de preconceito. Todavia, como qualquer fenômeno social, o religioso, tem um universo de possibilidades. Como por exemplo, a organização litúrgica que…

  • Expressão de Espiritualidade

    Deus fetiche da religiosidade

    Aurélio define fetiche como sendo “objeto animado ou inanimado, feito pelo homem ou produzido pela natureza, ao qual se atribui poder sobrenatural e se presta culto…”. Em psicologia fetiche é uma parafilia (normal ou patológica), quase sempre de cunho sexual: o objeto do fetiche é a representação simbólica, é um objeto parcial e não representa quem está por trás do objeto. Karl Marx fala, em sua teoria econômica e política sobre o fetiche, quando critica, por exemplo, meios de comunicação de massa, da mercadoria e do capital. Desta forma, para a escola marxista, “o fetiche é um elemento fundamental da manutenção do modo de produção capitalista”. Desta forma, conforme o…

  • Expressão de Espiritualidade

    Caso do Cabo Bruno: Uma reflexão sobre o “ex”.

    Muitos dos meus colegas pastores não concordam comigo quando afirmo que A SALVAÇÃO NÃO ALTERA A NOSSA HISTORICIDADE. Tenho esta afirmação num escopo mais geral quanto a minha percepção sobre a salvação e Cristo e a sua relação com a nossa vida enquanto sujeitos inseridos num contexto histórico e social. Creio que a salvação incide sobre o nosso ser como um todo, certamente, pois, um dos componentes da salvação, a santificação, nos é recomendada que seja integral (1 Tessalonicenses 5:23; vede ainda Colossenses 3). Mas estes processos (conforme o texto de Colossenses 3) está falando de uma dinâmica de produção de sentido da nossa salvação, como lugar de transformação. Ora,…

  • Reflexões Sociais

    Um bicho inominável.

    O ser humano é apenas um bicho inominável. Inacabado desde a sua concepção. Complexo por constituição, onde milhares de gametas se perdem, para que, quando um sobrevive, possa aventurar-se, sem garantias absolutas, em construir o animal mais imprevisível da existência: inominável, impenetrável, surpreendente, impermeável, que se acessa iludindo e iludido. Um bicho não como caracterização desconhecida da existência possível, do não catalogado, mas como não-possível essencial. Bicho que se metamorfoseia; que arranha sem tocar; que envenena sem morder; que deixa para o dia seguinte, e para o outro dia ainda, o que não foi possível fazer hoje. Imaterialidade difusa no corpo, que se contorce nos desejos da arbitrariedade do devir…

  • Conjugalidade,  Séries

    Amar ou odiar são Atos de Significados

    Amar ou odiar são Atos de Significados. São plantas do mesmo ambiente, o ambiente da nossa condição humana na capacidade de atribuir sentido às coisas; os animais não humanos não sofrem deste dilema! Portanto, a sobrevivência de um ou outro dependerá do nível de sentido que damos a um ou outro. E eles vivem por processo de exclusão, pois, na proporção que alimentamos um ou outro enfraquece. A grande questão é: qual dos dois temos alimentado mais dentro das nossas relações, e especialmente, na relação conjugal? Embora estando no mesmo ambiente, o sistema de nutrição é diferente um do outro. Por isto o que um é, qual o alimento que…

Você não pode copiar o conteúdo desta página