• Reflexões Sociais,  Textos

    La casa de papel: a ilusão do mal benéfico

    La casa de papel: a ilusão do mal benéfico. É inegável a excelência cinematográfica da série “La Casa de Papel”. A série está de volta com a terceira temporada, com oito episódios. Sem entrar em detalhes sobre temporadas anteriores, e nem da atual, convém dizer que é muito claro o discurso político e todos os temas que o serpenteiam. Todavia, quero voltar a minha atenção a proposta do título deste post! Tanto nas temporadas anteriores, como nesta, fica claro o discurso que o mal pode ser benéfico, não importando, se os meios sejam inescrupulosos, que viole os princípios elementares do direito individual e coletivo. Existe um “cortina de fumaça”, sobre…

  • Reflexões Sociais,  Textos

    Crítica versus Opinião: A Paranoia nas Redes Sociais.

    Não estou certo que exista “crítica construtiva e destrutiva“. Estou propenso a pensar que haja crítica honesta e crítica desonesta. Visto que, ao que penso, uma crítica pode ser totalmente discordante, se ela se funda na honestidade dos CRITÉRIOS, ela cumpre o seu papel. No âmbito, portanto, do conceito CRÍTICA, tenho a sensação que o uso do termo “destrutivo” quer apenas sobrepor a imposição do: “você não pode discordar de mim”; do mesmo posso dizer do termo “construtivo”, no sentido de dizer “obrigado por massagear o meu ego”. Quanto ao mais, não se pode simplesmente aceitar as futilidades infundadas em nome de um tal “eu tenho direito de emitir opinião”.…

  • Reflexões Existenciais,  Textos

    Acima das nuvens o sol brilha!

    A densidade das nuvens não implica a não-existência do sol. Ele está no mesmo lugar, não obstante, as nuvens. Portanto, se as densas nuvens te impedem a aproximação, então, suba. Não tenha medo de subir, sempre mais um pouco. Acima das nuvens o sol brilha. Considere as nuvens neutralizantes da aproximação apenas um instrumento que te fará alçar voos. Mas nunca esqueça que o teu voo é um agenciamento. E o agenciamento é uma cadeia contingencial intermitente de possibilidades! Cada nuvem que se forma é um agenciamento; é está diante do possível. Acima das nuvens o sol brilha! O sol é possível, não por si só, isto não seria possível,…

  • Expressão de Espiritualidade,  Psicologia

    Ovo de pato chocado por galinha não nasce pintinho.

    Ovo de pato chocado por galinha não nasce pitinho: A nossa espiritualidade não nos transforma em deuses ou anjos (nem em demônios). O meu avô materno era um homem da roça, do campo. Gostava de criações! Não sei por que motivo, ele gostava de colocar ovo de pato para chocar em galinhas. Ao nascer, o patinho nascia “pensando” ser uma galinha; por outro lado, a galinha “pensava” ter um filho dentro de toda estrutura classificatória da existência: vida – domínio – reino – filo – ordem – família – gênero – espécie. Mas, não era bem assim. Eles se encontravam nos quatro primeiros níveis. Mas eram de ordem, de família,…

  • Expressão de Espiritualidade,  Textos

    O “Assim Como”: Eco da Alma.

    Qual seria o conceito de perdão que fosse, bíblica e teologicamente, abrange? Penso que seja o “Assim Como”. Só isto! Este, a meu ver, é o conceito bíblico e teológico de perdão que consegue expor o essencial do sentido de perdão. Só isto, nada mais: “Assim Como”. Ele, o “Assim Como”, é o eco da alma. O que é um eco? Fundamentalmente um eco é o som refletido, ou seja, quando um som sai da sua fonte, e encontra um determinado obstáculo, ele retorna ao emissor! Todavia para que o eco seja percebido é preciso que haja dois elementos: primeira a velocidade do tempo de terno, segundo, a persistência auditiva.…

  • Psicologia

    Autoajuda Versus Autossabotagem

    O espírito do “politicamente correto” é perverso! Muito perverso! Uma das vozes deste espírito é aquela voltada contra a AUTOAJUDA. Já ouvi pessoas dizerem: “eu não leio livro de autoajuda”! O pior disto tudo é que estas pessoas não leem livro nenhum. Pois bem, deixa eu ser bem focal, pois as pessoas não gostam de ler “posts” longos! O “politicamente correto”, contra a autoajuda, é que, se alguém disse que ler autoajuda, ela é considerada uma pessoa incapaz de lidar com os seus próprios problemas, em suma, é uma “pessoa fracote”. Este “politicamente correto”, não é necessariamente, a posição de uma pessoa no exata momento de ser “contra a autoajuda”,…

  • Conjugalidade,  Livros,  Séries

    Um casamento não nasce flor

    Um casamento não nasce flor, ele surge a partir de dois ramos, um macho e uma fêmea. Para que o casamento se configure como flor, a flor da conjugalidade, formando uma identidade conjugal, estes dois ramos precisam florir, ou seja, precisam evoluir da condição de ramo para condição de flor, iniciando o processo como um botão floral. Um casamento só será fecundo, se seus atores estiverem dispostos a fecundar ou se deixarem fecundar. Caso contrário, serão estéreis afetivos por toda vida e nenhum casamento suporta uma esterilidade afetiva. O Espírito Santo é o polinizador das virtudes do relacionamento conjugal, mas, como na flor, ele precisa ser atraído para a parte…

  • Conjugalidade,  Livros,  Séries

    Identidade Conjugal

    Os dois indivíduos que compõe o casal continuam sendo pessoas individualizadas, pelo menos, é o que se espera. Todavia, o que se espera, na vivência relacional, é que estes dois indivíduos – macho e fêmea – assumam o projeto da conjugalidade. Este projeto da conjugalidade, é que a autora, anteriormente referida, chama de “identidade conjugal”. Portanto, em termos efetivos da dinâmica conjugal, não existe uma “unidade conjugal”, pois os sujeitos da relação sempre serão indivíduos; haverá sim, a construção da identidade conjugal, e, por assim dizer, uma identidade conjugal que sempre refletirá os aspectos da individualidade dos dois indivíduos da relação. A identidade conjugal nunca será alheia a individualidade, e,…

  • Conjugalidade,  Livros,  Séries

    Amar é sempre hoje

    Amar é sempre hoje, amanhã é só possibilidade! No relacionamento conjugal, não há espaço para analfabetismo amoroso, pois, AMAR SE APRENDE. Ninguém é indesculpável de “não amar”. Amar é sempre possível! Aos analfabetos do relacionamento amoroso devo dizer: amar se aprende. E aos analfabetos funcionais do relacionamento amoroso, digo: amor não se sente, amor se faz! Por isto, quer aos analfabetos de fato, quer aos funcionais, alerto: ainda há tempo de aprender a amar. Diante disso, devo ainda dizer que não se ama por milagre, mas quando se aprende a amar, como uma construção dia a dia, momento a momento, o amar faz milagres. O amar transforma vidas, transforma situações.…

  • Expressão de Espiritualidade,  Textos

    Culto a Deus ou alucinações psicodélicas.

    Fazendo uma busca na internet sobre o tema do meu TCC na minha graduação em Psicologia  – Necrópolis e Epitáfios -, por uma sequência de hiperlinks, cheguei a uma série de vídeos no You Tube que mostram alguns “culto pentecostais”, ou, para melhor enquadrar na semântica da religiosidade, “neo-pentecostais”. Gente o que se vê é uma série de manifestações que me faltam qualificação adequada. Bem, pensando em alguns eventos que tem por ai, podemos dizer que se for adicionado uma música eletrônica de fundo, estes ditos cultos vão, por certo, se configurar uma festa rave movido a ecstasy, alucinações psicodélicas, etc. Todavia, com uma série de diferenças, principalmente, que nas…