Expressão de Espiritualidade

A Porta e o Caminho…

Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; e porque estreita é a porta, e apertado o caminho que conduz à vida, e poucos são os que a encontram (Mateus 7:13-14).

A mensagem do evangelho se sustenta sob os fundamentos da meta-narrativa; e, neste sentido, as riquezas metafóricas do ensino de Jesus, transcende os “eventos” históricos que caracterizam os processos sociais, culturais, políticas, econômicas, científicas e religiosas.

Ao olharmos para as características do homem do final do século XX e o início do século XXI, que se sustenta no que afirma-se como “pós-modernismo”; percebe-se a tentativa colossal de negar e rechaçar tudo que se caracteriza sob as metas-narrativas, e, neste sentido, especialmente, a meta-narrativa bíblica, onde se ergue edifícios conceituais, princípios e epistemes, que confrontam o espírito do mundo (e do mundo pós-moderno, neste caso).

Dito isto, o texto de Mateus 7:13,14, entre tantos ensinos de Jesus, sobre o viver a sua proposta de vida, nos faz um chamamento desafiador. Nos dois versos existe uma contraposição claramente definida (não sei de claramente percebida) onde “porta larga e caminho espaçoso” não precisa ser procurado, pois, são expostos de forma publicitária; e, por outro lado, “porta estreita e caminho apertado” são postos como tesouro: precisam se procurados. Eis um conceito meta-narrativo do evangelho: procurar. Diz o Senhor, por meio do profeta: “Buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes de todo o vosso coração”. (Jeremias 29:13). A Porta estreita e o Caminho apertado se impõem sob o signo do fazer, o ato, do agir, do trabalho, como sendo uma atividade que envolve a necessidade de um direcionamento, de um apontamento, de um propósito, pois, “a vereda dos justos é como a luz da aurora que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito” (Provérbios 4:18). O “vinde a mim” (Mateus 11:28-30) não deve ser percebido como uma ação mecanicista despropositada, mas, como uma proposta com propósito: Caminhar em direção a! É preciso querer saber sobre…A Porta estreita e o Caminho apertado é um fazer; o evangelho é um fazer…!

Você não pode copiar o conteúdo desta página