Reflexões Sociais,  Textos

La casa de papel: a ilusão do mal benéfico

La casa de papel: a ilusão do mal benéfico.

É inegável a excelência cinematográfica da série “La Casa de Papel”. A série está de volta com a terceira temporada, com oito episódios.

Sem entrar em detalhes sobre temporadas anteriores, e nem da atual, convém dizer que é muito claro o discurso político e todos os temas que o serpenteiam.

Todavia, quero voltar a minha atenção a proposta do título deste post! Tanto nas temporadas anteriores, como nesta, fica claro o discurso que o mal pode ser benéfico, não importando, se os meios sejam inescrupulosos, que viole os princípios elementares do direito individual e coletivo.

Existe um “cortina de fumaça”, sobre o víeis ideológicos, que visa sustentar o discurso que o “sistema é perverso”, e que, portanto, os fins (benéficos) justificam os meios (criminosos) para que a verdade seja conhecida!

Esta “cortina de fumaça”, tenta encobrir que o(s) BANDIDO(S) usufrui (em), hedonisticamente, do seu crime sem nenhum remorso.

Quando se fala que o “sistema é perverso”, antes de tudo, é preciso considerar que o sistema não é uma entidade, o sistema é a soma do comportamento do conjunto dos seus componentes, e, neste caso, quando falamos do sistema estatal, estamos falando dos serviços públicos em todas as suas esferas. Neste caso, ele é do bem e é bom? Não, decididamente, não é! Mas, isto não dar direito a nenhum cidadão de querer sobrepor-se ao Estado Democrático de Direito, pois, é neste que se sustenta a possibilidade de vida em sociedade!

A terceira temporada de La Casa de Papel, tem o discurso que os bandidos estão fazendo o que a “população” gostaria de fazer, mas não pode fazer. Isto é pura falácia, em nome do fazer justiça! O que jaz no cerne da questão são interesse pessoais de viver uma boa vida, com o dinheiro público! O motivo real da ação dos criminosos é SOLTAR UM DOS SEUS MEMBROS, no caso da sério, o personagem RIO…

O discurso central da nova temporada é que “máscara” virou (numa linguagem midiática: viralizou) como símbolo de RESISTÊNCIA. Pura falácia política-ideológica.

Quanto ao mais: se houver alguma semelhança com Brasil, pergunta-se: é mera coincidência da fantasia cinematográfica? De forma alguma! É uma reprodução de discurso! O “professor” tem recurso financeiro, e com ele, pode manter uma exército de hackers espalhados pelo mundo!

O bandido quer justiça? Não! Não existe mal benéfico! O bandido quer apenas livrar da prisão o outro bandido! Na série, e muitas vezes na vida real, onde insanos teimam em quer fazer com todos acreditam que o mal é benéfico!

Um comentário

  • Gilvam

    Concordo contigo pastor Frank,virou uma febre no mundo todo está série,eu mesmo já assistir a 3 temporada,na vdd o crime não compensa
    Mas eles mostram que o governo rouba de uma forma que ninguém percebe,assim se sentem no direito.
    O problema é que nós torcemos por eles,eles fazem com quer todos lutem sua causa e ficar contra as autoridades.
    Na verdade mexem com o sentimento,emoções.
    O professor é muito inteligente,na 4 temporada ele vai conseguir sair daquela situação
    O grande erro dele foi se apaixonar e acabou caindo na sua própria armadilia

Deixe o seu comentário

%d blogueiros gostam disto: