Missão

Missões: Essência e Existência.

Fazer missões é a razão de ser e existir da igreja do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo aqui na terra. Assim sendo, aqueles que tiveram um encontro salvífico com Cristo, devem sentir-se compromissados com esta essência, como algo absolutamente inerente à sua existência; não somente existência no sentido de temporalidade, mas existência transcendental, metafísica; existência espiritual. Não a espiritualidade da religiosidade, mas da vivência, É entender, no sentido mais lato, o que significa dizer: “o Verbo se fez carne”. O verbo se fez carne entre nós! O nós é a individualidade no outro! E a forma mais bíblica, teológica, antropológica e psicológica de se manifestar o “eu” no “nós” é por meio da comunhão! O verbo ser fez e habitou entre cheio de graça! Manifestou-se para manifestar a comunhão entre os nós, e em nós; o reino de “Deus dentro em vós” (João :1:1-14;17; Lucas 17:20,21; Romanos 14:17). Comunhão é vivência. Esta é a espiritualidade dos evangelhos; a comunhão do nosso Cristo! O verbo se fez carne para viver entre os homens, o verbo se fez carne em humanidade, mas não a humanidade do contingente, e sim, humanidade como essência da existência, e o existir em expressão de espiritualidade!

Então, quanto alguém – um homem, uma mulher, um casal, uma família – sente-se impelido pelo Espírito Santo do Senhor a fazer missões, ele concebe o que seja essência e existência. Assim, missões em essência e existência só pode ser realizado no tempo e  no história; só pode ser feito por humanos. Anjos não realizam missões! Missionários transformam se anjos do Senhor, no sentido mais existencial e essencial.

Eles estão por todos os lugares! As vezes apoiados, muitas vezes não! Algumas vezes recebidos como convém, muitas vezes esquecidos:

em muita perseverança, em aflições, em necessidades, em angústias, em açoites, em prisões, em tumultos, em trabalhos, em vigílias, em jejuns, na pureza, na ciência, na longanimidade, na bondade, no Espírito Santo, no amor não fingido, na palavra da verdade, no poder de Deus, pelas armas da justiça à direita e à esquerda, por honra e por desonra, por má fama e por boa fama; como enganadores, porém verdadeiros; como desconhecidos, porém bem conhecidos; como quem morre, e eis que vivemos; como castigados, porém não mortos; como entristecidos, mas sempre nos alegrando; como pobres, mas enriquecendo a muitos; como nada tendo, mas possuindo tudo”. (2 Cor.6:4-10).

São famílias sofrendo juntos; as vezes são solteiros precisando de presença! São humanos, limitados; que sentem saudades, têm frustrações, medo, desejos, sonhos! Porém, em existência e essência, o que faz a diferença é que submeteram os seus sonhos, desejos, medos, projetos, saudades, limitações à soberana vontade do Deus Eterno! Vivem apenas em essência e existência! Vivem para o Senhor!

Facebook Comments

Desculpa! Mas, escrever este texto deu trabalho!