No Prelo

A semântica da religiosidade

Este post é um recorte: “Eu Sou – Esboço de uma Ontologia Cristológica”.

Sabemos que grupos sociais, quase sempre, formam guetos, nichos. E isto, inevitavelmente, faz surgir uma forma peculiar nas relações, na comunicação dentro do grupo. Observa-se, a olho nu, que na vida-moderna fluída, tem se firmado uma semântica religiosa. Semântica esta com uma capacidade de metamorfosear impressionante. Convém, todavia, salientar que existe uma diferença entre linguagem bíblica e semântica religiosa. A linguagem bíblica é aquilo que está estabelecida no contexto da ação bíblica, e com a qual nos identificamos em matéria de vida cristã. A semântica religiosa, é o uso de expressões e frases de efeitos como resultado da sugestão do pregador, num retorno aos ouvintes como pedido daquilo que eles gostaria de ouvir. Isto ocorre de forma quase fenomenológica. Produz um efeito hipnótico sobre o grande público, e assim o espetáculo continua.

Algumas: Receba! Tem anjos neste lugar. Fica no lugar da bênção. O mar vai se abrir. Hoje é dia de ressurreição. A morte morreu! Deus está me revelando! Tem alguém aqui! O varão de branco chegou! Tem alguém aqui em pecado! Venha logo senão Deus vai te matar! Deus vai te dar uma casa na praia. Deus está entregando a chave de um carro zero para alguém aqui!

É isto ai! E de algum lugar Deus desdenha da infantilidade de muitos.

Você não pode copiar o conteúdo desta página