• Psicologia

    Tecnologia e Sentido

    Sou um entusiasta da tecnologia! Sou do ponto de vista que deste sempre a tecnologia, nas suas muitas formas, tem sido um instrumento que pode ajudar a qualidade de vida, aplicada em todas as áreas da vida. Mas, devo dizer que sou ponto de vista que, no atual formato, o uso da tecnologia no plano das relações pessoais, nomeadamente, as redes móveis de telefonia, estamos vivendo algo muito fragmentador. Somos seres simbólicos, esta é uma condição essencial que nos coloca em uma posição diferente em todo criação. Somos seres de significado, de sentido! O atual modelo de relacionamento é uma armadilha, pois, deixa as pessoas numa ilusão que estão estabelecendo…

  • Psicologia

    Saúde mental e Integridade

    Com a promulgação da Constituição de 1988, ainda vivendo às poeiras do militarismo, o Brasil começa, então, a viver e passar por profundas transformações. E particularmente, no que diz respeito á saúde as mudanças, apesar das deficiências vividas até hoje, houve um avança que não se pode negar. Dentre tantos movimentos que buscavam melhoria no campo da saúde, “o Movimento da Reforma Sanitária teve nesse período, um papel marcante no que se refere ao processo de discussão e reflexão do conceito ampliado de saúde, da proposição de um novo modelo assistencial de saúde orientado para a promoção da saúde e prevenção da doença[1] com a participação popular”[2]. Todavia, sabemos que…

  • Psicologia

    Saúde mental e Construtivismo

    Segundo alguns especialistas a perspectiva construtivista pode auxiliar na construção da representação social acerca dos processos de saúde e doença. Outros, ainda conseguem ver um paralelo entre esta perspectiva e a proposta teórica de Canguilhem (2009) no que diz respeito ao normal e patológico. Entendo que, para abrir a questão, é fundamentalmente importante fazer uma pergunta básica: o que é o construtivismo? Segundo Becker, construtivismo significa: a ideia de que nada, a rigor, está pronto, acabado, e de que, especificamente, o conhecimento não é dado, em nenhuma instância, como algo terminado. Ele se constitui pela interação do indivíduo com o meio físico e social, com o simbolismo humano, com o…

  • Psicologia

    Saber dizer adeus

    Saber dizer adeus: a anulação do ser pela necessidade existencial. Às vezes, é preciso saber dizer adeus. Mas, não somente é preciso dizer adeus, é necessário dizer adeus, às vezes; e não somente às vezes, mas, muitas vezes é necessário dizer adeus. Mas, afinal, o que significa dizer adeus? É uma cisão! Uma ruptura! É estabelecer um hífen naquilo que se é constituído objeto da relação, do encontro, e reencontro, da recitação, da poesia. E não importa se é poesia sem verso e rima. O que é importa é existir na possibilidade de ser recitada. Pois o sentido é o sentido do dito naquilo que nos eleva; e o que…

  • Psicologia

    A Necessidade da Psicologia do Ser

    A ausência, em certa medida, no seio “das psicologias”, de fundamentos ontológicos mais consistentes, metodologicamente maduros e desenvolvidos, tem levado esta – e não falo em nome de nenhuma corrente – “psicologia” a se caracterizar mais como uma biologia geral. Sem dúvida, a biologia, como ciência da vida, tem o seu lugar no contexto da exploração por qualquer perspectiva que visa analisar o ser humano. A biologia tem o seu sentido ratificado enquanto ciência da vida, quando se inscreve numa antropologia que cria, ao mesmo tempo em que é criada no arcabouço da cultura. Mas, uma psicologia que pretende firmar-se como ciência, precisa entender que o seu labor epistemológico opera…

  • Psicologia

    Encantamento do desejo

    Hoje, de uma forma absolutamente inquietante, acordei invadido, possuído, pela palavra encantamento. É uma sensação ímpar; parece que fui (estou) tomado por um estado onírico permanente. Se este estado onírico está em mim, e me dou conta da sua realidade, e entre uma palavra e outro, na tentativa de escrever, atos falhos emergem, então, o meu encantamento é a realização de um desejo. O desejo que se encontra por trás da palavra? Aurélio diz que encantamento é o ato de encantar(se), que por sua vez significa, entre outras coisas, seduzir, cativar, maravilhar, arrebatar. Mas, para que isto ocorra, não é preciso uma ação? Parece que sim! A palavra! Ação de…

  • Psicologia

    Especifidade da linguagem

    Especificidade da linguagem: o outro – um desconhecido ser. Há dúvidas que nós, seres humanos, somos seres de linguagens, e que por elas somos atravessados das mais diversas formas; que as suas multiformes expressividades são determinantes na construção dos nossos processos relacionais: do cultural ao científico. Pela linguagem nos expressamos, dela precisamos. Por ser um fenômeno, e por assim dizer, o dinamismo é a sua sobrevivência, por isto ela se transforma, e, por conseguinte, transforma as pessoas, transforma a sociedade, transforma a cultura. Todavia, como se sabe, o sentido da linguagem, dizendo de forma diferente, a linguagem faz ou só faz sentido no outro enquanto ser co-específico na dinâmica da…

  • Expressão de Espiritualidade,  Psicologia

    Ovo de pato chocado por galinha não nasce pintinho.

    Ovo de pato chocado por galinha não nasce pitinho: A nossa espiritualidade não nos transforma em deuses ou anjos (nem em demônios). O meu avô materno era um homem da roça, do campo. Gostava de criações! Não sei por que motivo, ele gostava de colocar ovo de pato para chocar em galinhas. Ao nascer, o patinho nascia “pensando” ser uma galinha; por outro lado, a galinha “pensava” ter um filho dentro de toda estrutura classificatória da existência: vida – domínio – reino – filo – ordem – família – gênero – espécie. Mas, não era bem assim. Eles se encontravam nos quatro primeiros níveis. Mas eram de ordem, de família,…

  • Psicologia

    Autoajuda Versus Autossabotagem

    Autoajuda Versus Autossabotagem: o paradoxo do politicamente correto. O espírito do “politicamente correto” é perverso! Muito perverso! Uma das vozes deste espírito é aquela voltada contra a AUTOAJUDA. Já ouvi pessoas dizerem: “eu não leio livro de autoajuda”! O pior disto tudo é que estas pessoas não leem livro nenhum. Pois bem, deixa eu ser bem focal, pois as pessoas não gostam de ler “posts” longos! O “politicamente correto”, contra a autoajuda, é que, se alguém disse que ler autoajuda, ela é considerada uma pessoa incapaz de lidar com os seus próprios problemas, em suma, é uma “pessoa fracote”. Este “politicamente correto”, não é necessariamente, a posição de uma pessoa…

Você não pode copiar o conteúdo desta página