• Reflexões Existenciais

    Entre o MAIÚSCULO e o minúsculo

    Entre o MAIÚSCULO e o minúsculo: o que eu disse e o que o outro acha que eu queria dizer. Eu estava trabalhando em texto, digitando-o no Word Microsoft quando eu precisava usar a expressão em latim et al, e, automaticamente, na proporção que digitei et, ele se transformou em ET e quando digitei al se transformou em AL. A expressão et al, numa tradução direta significa “e outro” ou ainda “entre outros”. Bem, entre o que eu estava dizendo com a expressão et al e o que o Word entendeu o que eu estava querendo dizer são coisas absolutamente diferentes. Eu estava citando um determinado autor e dizia, então,…

  • Reflexões Existenciais

    A morte e o morrer: Uma metáfora futebolística

    Sexta-feira, dia 02 de julho de 2010, o tão sonhado hexa campeonato da seleção brasileira de futebol foi pelo ralo…a campanha publicitária do hepta vai ter que ser refeita! Pelos quatro cantos do país o que se viu foi um dissolução total, choro e revolta com jogadores, treinador e comissão técnica. A crítica, dita especializada não se entendia (no dia do jogo, por causa do malogro); e nem se entende nunca…grave um jogo de futebol, e depois veja os comentários em diferentes canais: uma tragédia. Mas tem uma explicação: o nível de vaidade e romantismo, em detrimento ao profissionalismo, beira a perversão. Já observaram como o Dr. Hannibal Lecter pronúncia…

  • Reflexões Existenciais

    No meio do tempo comum, o extraordinário acontece.

    Penso que nós, humanos, temos tendência de querer sempre o extraordinário pelo extraordinário. E nos esquecemos que “no meio do tempo comum (chronós), o momento extraordinário (kairós) acontece”. Todo final de ano, observe-se as pessoas fazendo novas promessas, mas, ao “passar do tempo”, dentro do novo ano, observa-se que os velhos hábitos se repetem. Então o “tempo” sempre será o mesmo, o ano será o mesmo para estas pessoas. Parece-me que as pessoas querem, na virada de ano, o extraordinário pelo extraordinário, e, com base neste comportamento, fazem as suas promessas. Falando de crentes, me parece que a velha promessa é aquela de sempre: “serei mais fiel”. Não creio em…

  • Reflexões Existenciais

    Onde estão as estrelas?

    As vezes olhamos para o firmamento e contemplamos as estrelas.Mas as estrelas não mudam de lugar, estão onde estão para nos fazer perseverar em continuar olhando para o firmamento, pois as estrelas só mudam de lugar depois que os nossos olhos conseguirem acompanhar seus movimentos. Se, então, nós não conseguimos vê-las, como, pois, vamos acompanhar o seus movimentos? Então, precisamos primeiro descobrir onde estão as estrelas para poder acompanhar  os seus movimentos. Onde estão as estrelas?  Estão no universo! Sim estão no uno e no verso. O uno sou eu, o meu ser, o meu mundo, os meus passos, as minhas marcas, as minhas pegadas, os meus olhos, as minhas…

  • Reflexões Existenciais

    Floresça onde for possível

    Vivemos em uma sociedade onde competição gratuita  e insana tem sido lavada as últimas consequências: o atentado contra a vida. Confundem a competitividade, como processo natural do amadurecimento e conquistas, com a insanidade de ter pelo ter, sem nenhum compromisso consigo mesmo e com o outro. Eu e Suely recebemos uma das suas irmãs e o esposo, aqui em Gravatá (PE), para três dias de visita. E quiseram conhecer uma das áreas rurais, onde existe as plantações de flores. Conhecemos uma plantação de  crisântemo, de dona Jura, uma senhora simpática, acolhedora, que nos deu uma aula sobre a cadeia produtiva deste tipo de flor. Na ida – o motivo do…

  • Reflexões Existenciais

    O valor das pequenas coisas

    Veja esta frase: “Se as mulheres soubessem o valor que têm os homens se ajoelhariam aos seus pés”. Veja a frase com uma vírgula posta por um homem: “Se as mulheres soubessem o valor que têm os homens, se ajoelhariam aos seus pés”. Agora veja a vírgula posta por uma mulher: “Se as mulheres soubessem o valor que têm, os homens se ajoelhariam aos seus pés”. Vejam como são as coisas! É uma questão de perspectiva e, sobretudo, saber onde colocar a “vírgula da vida”. Assim, moral da história: há homens que são valorosos, que vale muito apenas a mulher  (a sua mulher) ajoelhar-se aos seus pés, como vez Rute…

  • Reflexões Existenciais

    I look to you: uma confissão.

    “Olhai para mim, e sereis salvos, vós, todos os confins da terra; porque eu sou Deus, e não há outro”. (Isaías 45:22) Whitney Elizabeth Houston (Newark, 9 de agosto de 1963 – Beverly Hills, 11 de fevereiro de 2012), nos últimos anos, antes da sua morte, viveu a destruir-se.  As drogas a destruíram como sempre fazem com qualquer um; seja rico ou pobre, branco ou negro, amarelo ou índio…em qualquer lugar. As raízes gospel estadunidenses se refletem em “I look to you”, o último trabalho de Whitney. A canção toda é uma confissão, a confissão de uma história de vida, que encontra abrigo apenas quando “I look to you”. Um…

  • Reflexões Existenciais,  Textos

    Asinidade: a nossa humanidade

    Nós, seres humanos, nos gabamos na nossa razão: somos humanos por sermos reacionais. Será? O que caracteriza uma racionalidade? A mera habilidade de raciocinar? Criar máquinas, engenharias complexas, tecnologias? A inteligência? Descobertas astronômicas? Enfim! Uma quase infinita possibilidade deste ser, tão singular, complexo; mas, ao mesmo tempo, tão absurdamente revertido de uma asinidade sem limites. Asinidade (poderia ser “asnidade, mas asinidade parece soar melhor), é a nossa capacidade de fazer coisas que a razão não explica. Podemos pensar em asinidade administrativa, educacional, estratégicas, religiosa, enfim. Mas, pense, cá pra nós, asinidade, burrice mesmo é machucar a pessoa amada; a pessoa que por muitas vezes fizemos incontáveis juras de amor, amor…

  • Reflexões Existenciais

    Sonhar Contigo

    Hoje acordei pensando fortemente em sonhos, talvez pelo fato de ter esquecido os sonhos da noite, mesmo sabendo que os tive. E que de alguma forma me falavam de presença, de pessoas. E escrever agora sobre eles, talvez seja uma compensação insciente, na tentativa de recuperá-los. Então, pensei, e nem sei se ainda sonho, mesmo estando consciente que estou diante do computador e digito este texto, em dizer alguma coisa obre sonhos. Ora, se sonhos são restos diurnos e expressão de um desejo inconsciente, devo pensar, então, que o sonho não é um fenômeno por si só; sendo resto diurno e expressão de um desejo inconsciente, ele, pois, se constrói…

  • Reflexões Existenciais,  Textos

    Acima das nuvens o sol brilha!

    A densidade das nuvens não implica a não-existência do sol. Ele está no mesmo lugar, não obstante, as nuvens. Portanto, se as densas nuvens te impedem a aproximação, então, suba. Não tenha medo de subir, sempre mais um pouco. Acima das nuvens o sol brilha. Considere as nuvens neutralizantes da aproximação apenas um instrumento que te fará alçar voos. Mas nunca esqueça que o teu voo é um agenciamento. E o agenciamento é uma cadeia contingencial intermitente de possibilidades! Cada nuvem que se forma é um agenciamento; é está diante do possível. Acima das nuvens o sol brilha! O sol é possível, não por si só, isto não seria possível,…

Você não pode copiar o conteúdo desta página